Páginas

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Rede blog 1/2009.

"Como promover mecanismos para a participação política direta da sociedade civil em Campos?" Quero aqui afirmar que as associações de moradores de bairros, parques e distritos deveriam ser o carro chefe na participação política de qualquer cidade, e por quê? Vivem o problema na carne, em seu dia a dia. Porém temos o grande problema do vicio de vincular atitudes e ou atos políticos a causa pessoal de ganhos fáceis e ainda ao “prestigio” para se adquirir votos em um próximo pleito. Estamos meio que “largados ao vento” neste aspecto da participação, votamos e esperamos o que o governante fará, e olha que as ultimas experiências não foram nada boas! Precisamos sim que nós, e cada um de nós cobre em primeiro plano aos representantes de nossas associações, até porque partindo do fato de que os indivíduos representantes (das associações) se não forem cobrados ficarão debruçados sobre os próprios corpos na expectativa de que algum politiqueiro o procure para negociatas... A cobrança ainda reforça o poder dado a cada uma das representatividades, pois se não há o que cobrar é porque não há o que fazer! E como há o que fazer em nossa terra!

8 comentários:

Tecnenfermaginando disse...

caramba!

arrasou no novo layout!!

Apesar de não morar em Guarus, desenvolvo um trabalho de base naquela comunidade e lá não há uma associação de bairro, sempre que toco neste assunto, eles me dão como referencial um político famoso daquela região, acompnhando de seus secretários e tal.

Aí, educamente, encerro o assunto.

Nada contra, mas é que sempre fico com a estranha sensação de que a coisa funciona meio que "comendo eu e meu cavalo..."

Acho, Marcos, que a comunidade, qualquer que seja ela, desconhece o poder de voz que tem e justamente porque sempre há quem os subestimem e tentam tirar vantagem.

Pena, né, colega?!

:(

Marcos Valerio disse...

É exatamente por aí, gostei dessa do cavalo!

rm disse...

Valério,
permita discordar, ainda que apenas pontualmente.

Não que desaprove a participação comunitária e o associativismo. Ao contrário, acho-os da maior relevância, especialmente tratando-se de problemas que podem ser resolvidos no âmbito comunitário. Mas tenho sérias dúvidas de que seja por aí que se "promova a participação política" em qualquer cidade; mesmo esta referida participação "direta".

Vou tentar exemplificar: digamos que você (ou a comentarista acima) seja uma liderança comunitária, representante de moradores de um bairro ou região. Suponho que o objetivo seja reunir esforços para a obtenção de melhorias ou direitos.

Ora, a modesta capacidade de interlocução e de pressão de uma associação, no sentido da consecução de seus objetivos, a leva, necessariamente, a buscar na representação política (indireta), meios que tornem ouvidas suas reivindicações.

Vejo com naturalidade, até desejável, que associações e representantes eleitos se aproximem. Como se faz esta aproximação é outro problema. E mais, boa parte dos quadros políticos forma-se nessa esfera. Ou seja, seria um caminho natural, para uma liderança comunitária, caminhar no sentido da política partidária.

O que quero dizer com isto é que a cidadania, integral, não pode ser feita no associativismo, que não o dispensa, claro. Mas vai além: trata-se de participar, mesmo quando não estão em jogo demandas específicas de certa população ou região.

A cidade (a polis, daí o nome política) não é apenas a soma de bairros ou regiões. Vai além, no sentido do público, que supera demandas individuais ou setoriais.

E a forma pela qual se materializa esta participação é no partido político.

Chato, mas verdadeiro...

Marcos Valerio disse...

Pois muito bem meu caro RM, você além de estar certissimo, como sempre, nos deu mais uma aula, mas em nosso caso apenas demos uma puxada de orelha nas associações, as demandas de uma polis, como você muito bem citou são de âmbito geral, mas por aqui, e olha que não estou criticando de forma negativa a atuação de A ou B, como dizia por aqui a situação é que nossos representantes a nível de legislativo não atuam como penso que deveriam, olhe bem, não acho que seja só uma falha de cada um deles, talvez com uma participação mais efetiva da estância associativa, os Edis tenham mais elementos para fazer um trabalho melhor.
Obrigado pela participação, e continuemos o debate!

Tecnenfermaginando disse...

RM:

na teoria, belo discurso, o perfeito sonho de consumo de qualquer cidadão.

Mas moramos em Campos dos Goytacazes... e a coisa não funciona por aí...

E caracas! valeu pela aula.

abç,
:)

Hyde disse...

Aprendo tanto neste blog... hehehe

Marcos Valerio disse...

O meu interesse é exatamente levantar discurssões, buscando abordagens diferentes, somente assin chegamos ao conhecimento. Afinal a vontade da grande maioria de nós humananos é que a vida seja boa e pacifica. Abraços e obrigado!

discípula disse...

Cara!!!! Isso é que é nivel alto!!!
É disso que gosto, amados!!!
Parabéns aos comentaristas! Não chego nem aos pés, pode crer. Parabèns!!!!

Diretas sempre

Tratando da natureza!

Tratando da natureza!